domingo, 30 de março de 2008

textos p/ 3º e 4º ano 2009: Imperialismo e Neocolonialismo

As inovações técnicas ocorridas na segunda metade do século XIX, convencionou-se chamar de segunda Revolução Industrial, foram na verdade a utilização de novas fontes de energia (petróleo e electricidade) que possibilitaram o surgimento de novas indústrias e o desenvolvimento dos transportes e comunicações. Simultaneamente, ocorreram transformações de ordem estrutural: o capitalismo liberal foi suplantado pelo capitalismo monopolista, devido à concentração de empresas e limitando a concorrência.
O capitalismo monopolista e financeiro (1870-1945), corresponde a segunda fase do sistema capitalista, é marcado pela forte concentração empresarial.
A concentração desenvolveu-se através de duas formas: a vertical e a horizontal.
Concentração horizontal: efetua-se o domínio de um determinado setor (ou fase) da produção de uma mercadoria. Ex.: domínio da fase do refino do petróleo e/ou sua distribuição.
Concentração vertical: Grupo de empresas que tende a dominar todas as fases de um processo produtivo, desde a produção de matérias-primas até a fabricação final ou comercialização.
No Capitalismo Monopolista tivemos vários tipos de concentração e integração, geralmente conhecidos como cartéis, trustes e holdings.

Cartel: Acordo comercial entre empresas produtoras, as quais, embora conservem a autonomia interna, se organizam em sindicatos para distribuir entre si cotas de produção e os mercados, e determinar os preços, suprimindo a livre concorrência.

Trust: Associação financeira que realiza a fusão de várias firmas em uma única empresa.

Holding: Não ocorre a fusão, porém uma empresa central controla outras subsidiárias; ainda que estas juridicamente sejam autônomas, a maioria de suas ações pertence à empresa central.

O imperialismo é a subjugação de um ou mais países capitalistas sobre outro país. A concentração capitalista e o protecionismo alfandegário elevado levaram ao estágio do imperialismo, isto é, à exportação de capitais excedentes e à dominação de mercados, inclusive sob a forma de colonialismo na África e na Ásia.
Obs.: Imperialismo – impulso dominador de caráter econômico (mais geral).
Colonialismo – aquelas formas em que se acrescentou ao domínio econômico o domínio político, geralmente estabelecido através da conquista militar.

O neocolonialismo concretizou-se de várias formas, das quais destacamos:

Os protetorados, em que se mantinham os chefes locais, mas os funcionários metropolitanos exerciam de fato o controle da economia e da política.
Ex.: Marrocos (França), o Egito e a Índia (Inglaterra).
As colônias propriamente ditas, em que se procedia a uma completa ocupação territorial, com a implantação de um aparelho político-administrativo e militar. Subdividiam-se em: colônias de enraizamento e de enquadramento. Colônias de enraizamento - povoamento europeu e expropriação das terras nativa. Ex.: Argélia, Angola e África do Sul.

Colônias de enquadramento – minoria européia, que exercia as funções administrativas, apoderava-se do excedente de produção sem se apropriar das terras nativas. Ex.: colônias inglesas na África.

Áreas de influência, em que diversas potências procuravam obter vantagens e privilégios exclusivos.
Ex.: China.










Nenhum comentário: